DEBAIXO DA SOMBRA

            A sombra é algo maravilhoso.  Sobretudo no calor, no verão, no deserto.  Pode ser a sombra de um pequeno arbusto, debaixo do qual Hagar colocou Ismael, então com 14 anos (Gn 21:15).  Pode ser a sombra de uma enramada, debaixo da qual Jonas se colocou para proteger-se do sol (Jn 4:5).  Pode ser a sombra daquela gigantesca árvore do sonho de Nabucodonozor, cuja altura chegava até o céu e cuja sombra cobria a terra (Dn 4:10-12).  Pode ser aquela sombra sobrenatural que acompanhou o povo de Israel, do Egito a Canaã por 40 anos (Ex 13:21-22).  Ela fazia o papel de toldo (Sl 105:39).

            Você precisa de sombra.  Uma sombra para descansar.  Uma sombra para proteger-se.  Não tanto do calor do sol, mas do calor do core-corre, do calor das paixões, do calor do inferno.

            Essa sombra existe.  Não é a sombra de um guarda-sol, nem a sombra de uma laje, nem a sombra da copa de uma árvore.  Em linguagem poética é a sombra do Onipotente, a sombra que Deus, em sua misericórdia, projeta sobre você:  Aquele que procura segurança no Altíssimo Deus e se abriga na sombra protetora do Todo-Poderoso pode dizer ao Deus Eterno: Tu és o meu defensor e o meu protetor  (Sl 91:1 e 2, em A Bíblia na Linguagem de Hoje).  Veja que promessa maravilhosa:  o Senhor é a tua sombra à tua direita.  De dia não te molestará o sol, nem de noite, a lua” (Sl 121:5-6).

            A sombra de Deus sobre você é tão certa como a sombra da nuvem sobre Israel.  É perfeitamente possível usufruir hoje da sombra provocada pelas asas de Deus:  Na sombra das tuas asas, eu canto de alegria” (Sl 63:7, em A Bíblia na Linguagem de Hoje).

(Revista Ultimato - maio/1998 - p. 8)