O QUE UM BOM PASTOR DESEJA PARA SUAS OVELHAS?

         A terceira Epístola de João foi endereçada a uma das Igrejas da Ásia Menor, de onde participavam Gaio, Diótrefes e Demétrio. Não temos como saber ao certo qual Igreja, visto que João foi uma espécie de bispo das Igrejas desta região. Penso que nesta breve Epístola podemos identificar quatro características que um bom pastor deseja ver em seu povo.

1a.) A saúde do rebanho. Na saudação do apóstolo a Gaio, no verso 2 da Epístola, ele afirma: desejo que te vá bem em todas as coisas, e que tenhas saúde, assim como bem vai a tua alma. A Igreja é o lugar onde as ovelhas de Jesus aprendem a viver a vida em abundância que Ele nos oferece (Jo 10:10). As ovelhas são realmente saudáveis quando apresentam o fruto do Espírito Santo: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio (Gl 5:22). Todo bom pastor deseja e trabalha para ver o seu povo saudável.

2a.) O andar na verdade. Nos versos 3 e 4, João declara: Porque muito me alegrei quando os irmãos vieram e testificaram da tua verdade, como tu andas na verdade. Não tenho maior gozo do que este; o de ouvir que os meus filhos andam na verdade. Andar na verdade significa conhecer e viver o ensino de Jesus e a Palavra de Deus. Na mesma Epístola, João testifica também que Demétrio era um cristão fiel à verdade (v. 12). As ovelhas andam na verdade quando servem a Deus fielmente. Todo bom pastor deseja e trabalha para que seu povo ande na verdade.

3a.) O autêntico amor pelo Senhor e pelos irmãos. João menciona as pessoas a quem Gaio conhecia e hospedava: porque por amor do Nome saíram... (v. 6). Eram pessoas como o próprio Gaio, que amavam o Senhor e que, por conseguinte, amavam os irmãos (v. 5). O apóstolo contrasta o autêntico amor de Gaio ao falso amor de Diótrefes. Quem não ama de verdade, como Diótrefes, gosta da primazia, ofende, manipula, se coloca como obstáculo para o amor na congregação (vs. 9 e 10). Todo bom pastor ama seu povo, como João que assim se refere a Gaio: ao amado Gaio, a quem eu amo em verdade (v. 1).

4a.) O exercício dos dons espirituais. O apóstolo João enalteceu a Gaio pelo exercício de um dom espiritual em particular, a hospitalidade (vs. 5 e 8). Acolhendo os mestres que por amor de Jesus saíam a pregar a Verdade, Gaio se constituía num cooperador da verdade (v. 8). A cada membro do Corpo de Cristo o Espírito Santo revestiu com uma ferramenta que se utilizada devidamente, cooperará em benefício de todo o Corpo. Todo bom pastor deseja e trabalha para que seu povo conheça, desenvolva e exerça seus dons.

Estas quatro preciosidades sintetizam o que tenho frequentemente pedido ao Senhor para nossa Congregação. Creio que o Espírito Santo está lapidando no nosso meio diversos Gaios e Demétrios.

Paulo Rogério Petrizi